Seis minutos de exercício mantêm a forma, diz estudo

quarta-feira, setembro 10th, 2008

Um estudo realizado pela Universidade McCaster, no Canadá, mostrou que apenas seis minutos de exercício intenso por semana podem ser tão eficazes para manter a forma quanto seis horas de exercícios moderados no mesmo período.

Segundo a pesquisa, publicada no Journal of Applied Physiology (revista de fisiologia aplicada), exercícios curtos porém intensos tonificam os músculos e melhoram a resistência.

Mas os especialistas alertam que este tipo de exercício pode ser muito pesado para quem não estiver previamente em forma.

Atualmente, para se manter saudável, recomenda-se sessões de 20 a 30 minutos de exercício aeróbico moderado, de três a cinco vezes por semana.

Regimes de exercício

Os pesquisadores compararam o desempenho de 23 pessoas que seguirem três rotas de exercícios diferentes, três vezes por semana. Todos os participantes estavam razoavelmente em forma e saudáveis.

Um grupo pedalava duas horas por dia, em uma velocidade moderada, e o segundo grupo pedalava por dez minutos, em sessões de um minuto, em velocidade um pouco mais alta.

Um terceiro grupo participou de um treinamento de corrida – pedalando em velocidade máxima por dois minutos em micro-sessões de 30 segundos, com quatro minutos de intervalo entre cada sessão.

Os voluntários completaram um circuito de quase 30 km no início da pesquisa, e o repetiram depois de duas semanas de treinamento.

A conclusão foi de que todos os participantes melhoraram o desempenho físico na mesma medida.

Análises mostraram que a velocidade em que os músculos dos participantes absorviam oxigênio – um fator chave para medir o quão em forma alguém está – era a mesma.

Capacidade Muscular

Os níveis de uma enzima chamada citrato-sintase, que ajuda o tecido a processar oxigênio e a combater a diabetes, também eram similares entre todos os participantes.

O professor Martin Gibala, que liderou a pesquisa, disse que “sessões curtas de exercício muito intenso melhoram a saúde muscular e a performance, tanto quanto várias semanas de treinamento tradicional para aumento de resistência”.

“O treinamento de corrida pode ser uma opção para aqueles que usam a falta de tempo como principal desculpa para entrar em forma e manter um regime saudável de exercícios”, disse ele.

John Brewer, da Academia de Ciências do Esporte Lucosade, disse à BBC que as sessões curtas de exercício intenso só são recomendadas para quem já está em forma.

Segundo ele, a melhor maneira de manter a saúde cardiovascular e a forma ainda é seguir as recomendações atuais de exercícios.

Nota do Blog

Eu classifico este estudo na categoria de estudos sem lógica, não que eu não acredite na veracidade desta pesquisa, muito pelo contrário mas não acredito que vá alterar alguma coisa.

Vou explicar, os pesquisadores apontam que para este tipo de exercício tenha sucesso você deve estar em forma, porém para estar em forma você precisa fazer as 6 horas semanais.

As pessoas que alegam que não tem tempo livre para fazer exercícios com certeza não estão em forma, por isso elas não estão aptas a fazer este tipo de exercício intenso e as pessoas que estão em forma não vão se satisfazer com apenas 6 minutos por semana de atividades físicas.

A minha conclusão é que vale apenas pela curiosidade, porém se você já está em forma e tem uma semana bem cheia, você pode se beneficiar desta técnica.

Acompanhe o Blog

Me siga no Twitter Receba as últimas notícias no seu email Assine o nosso RSS Visite o meu perfil no Orkut

‘Gordura boa’ pode ser nova arma contra obesidade

quarta-feira, setembro 10th, 2008

Novas descobertas sobre a origem das células marrons de gordura — uma gordura “boa” que queima energia e aquece o corpo — podem levar a tratamentos inéditos contra a obesidade, anunciaram duas equipes de pesquisa nesta quarta-feira.

Em laboratório, cientistas do Instituto Dana-Farber do Câncer, em Boston, disseram ter induzido uma célula muscular imatura a se transformar em células marrons de gordura, o que sugere que essas células adiposas podem ser mais semelhantes às células musculares do que as células adiposas brancas convencionais.

Outro grupo, do Centro Joslin de Diabetes, também de Boston, descobriu que uma proteína importante no crescimento ósseo promoveu em ratos o surgimento de tecido adiposo marrom.

Os dois artigos foram publicados na revista Nature.

As células marrons de gordura liberam energia, em vez de acumulá-la, como as células brancas. Uma pessoa obesa tem muito depósito de gordura branca, e os pesquisadores acham que, se induzirem o corpo a produzir mais células marrons, as pessoas poderão perder peso.

Bruce Spiegelman, do Instituto Dana-Farber, disse por telefone que os pesquisadores tentam descobrir os genes que “ligam” as células de gordura marrom.

“O que apresentamos nesse documento é meio que um choque. Mostramos que a gordura marrom é derivada de uma célula igual à muscular, e que a gordura marrom e a gordura branca são completamente diferentes”, explicou.

A equipe trabalhou com um fator genético de transcrição (espécie de “interruptor” genético) chamado PRDM16. Ao retirar esse fator das células marrons imaturas, os cientistas tiveram uma surpresa: “O tubo se encheu de músculo. O que isso significa é que as células musculares são células precursoras das células marrons de gordura”, disse Spiegelman.

Nota do Blog

Pode tirar o cavalinho da chuva se você pensa que vão descobrir a pílula mágica, apesar do estudo ser interessante, eu não acredito que o processo seja simples, de qualquer forma vai levar anos para que se chegue a algum resultado que possa beneficiar a população obesa.

O jeito é tentar queimar essas malditas celulas de gordura branca. :)

Fonte: Reuters Brasil

Blog Widget by LinkWithin

Acompanhe o Blog

Me siga no Twitter Receba as últimas notícias no seu email Assine o nosso RSS Visite o meu perfil no Orkut
SEO Powered by Platinum SEO from Techblissonline