Emagrecendo com vinho tinto

segunda-feira, novembro 10th, 2008

Imagem SXC

vinho tinto

Há séculos, dizem que o vinho (bem como o azeite de oliva) faz bem à saúde. Muitos acreditavam que ingerindo diariamente, em doses moderadas, o vinho contribuía para a longevidade. No entanto, somente no fim do século 20 apareceram publicações científicas comprovando o que muitos já sabiam na prática.

O vinho tinto provém de uvas prensadas. Durante o processo de extração do suco, a casca da uva é mantida durante o processo de fermentação, junto com as sementes, galhos e polpa. É justamente na casca que contêm o resveratrol, que é o principal anti-oxidante do vinho tinto. Os anti-oxidantes são muito importantes para a saúde: elevam o bom colesterol (HDL) e abaixa o mau (LDL), mantêm a coagulação do sangue normal e diminuem o stress celular. É sabido que o resveratrol na uva exerce o papel de defensor natural da uva contra fungos, sendo que esta substancia aumenta na medida que ocorrem ataques externos de fungos na região. O processo de fermentação do vinho branco é diferente porque é preparado sem as cascas da uva, e portanto não apresenta uma quantidade significante de resveratrol.

E quanto ao emagrecimento – onde é que o vinho tinto interfere no processo de emagrecimento? Primeiramente temos que entender um pouco sobre as células gordurosas, chamadas adipócitos. As células adipócitas são os depositários das células de gordura do corpo. Existem vários tipos de células adipócitas com tamanhos diferentes e funções específicas, mas o tamanho deles é determinado por vários fatores hormonais, químicos e genéticos ao longo da vida. Mas é sabido que todas as células adipócitas secretam hormônios, sendo que um deles, a leptina vai ao cérebro e indica saciedade.

Um estudo realizado por cientistas alemães em 2008 notou que camundongos submetidos a uma dieta engordativa com alimentação padronizada não se tornavam obesos se ingerissem resveratrol em doses pequenas. Outro grupo de cobaias, com a mesma alimentação, mas sem o anti-oxidante – ganhava peso. Em outra experiência, os cientistas aplicaram o resveratrol a uma amostra de adipócitos imaturos e descobriram que o resultado foi uma diminuição de geração de adipócitos maduros tanto em número quanto em tamanho. Com a aplicação de resveratrol, os adipócitos estavam menores e em menor número. O mais interessante foi que o resveratrol causava a diminuição da geração de gordura dentro das células gordurosas. Os pesquisadores chegaram a conclusão de que o resveratrol é útil para impedir a abesidade, mesmo em condições de excesso de comida. O resveratrol promete o sonho de comer de tudo e não engordar.

Fonte: Homo Obesus

Blog Widget by LinkWithin

Acompanhe o Blog

Me siga no Twitter Receba as últimas notícias no seu email Assine o nosso RSS Visite o meu perfil no Orkut
SEO Powered by Platinum SEO from Techblissonline