Daily Archive for August 12th, 2009

Dietas sem glúten ajudam muitas pessoas com ou sem doença celíaca

Imagem Jana Kollárovápao-gluten

Por 20 anos, Angie, da Califórnia, EUA, sofreu de dores crônicas de barriga. Há uma década, ela foi diagnosticada com síndrome de intestino irritável e o profissional que a atendia recomendou mais exercícios físicos e maior ingestão de fibras. Mas a dor, inchaço e problemas digestivos continuaram até seus 60 anos.

Felizmente, quatro anos atrás, outro profissional sugeriu que ela iniciasse uma dieta isenta de glúten. Isso acarreta em mudanças de hábitos alimentares, o que significa deixar de ingerir tudo o que continha a proteína encontrada no trigo (trigo, semolina e kamut), cevada, centeio e aveia.

“Noventa por cento dos meus problemas se foram”, diz Angie. “Quando saio da dieta, os problemas e as dores retornam”, completa.

Angie é uma das muitas pessoas que tem se beneficiado da vida sem glúten. Os que sofrem de intolerância ao glúten, ou diagnosticados com doença celíaca, devem mudar o estilo alimentar e se tornar adeptos da dieta sem glúten, que quando sob supervisão médica, proporciona alívio sem remédios.

Eu tenho consciência da dificuldade dessa adaptação, exige vigilância aos rótulos dos produtos e dedicação para comer em casa, além disso, as pessoas ainda sofrem para encontrar produtos sem glúten nos supermercados.

As pessoas estão acostumadas a pizzas, massas, cerveja e hambúrgueres. Olhando pelo lado positivo, com a dieta restritiva de glúten, os alimentos que você pode comer – proteínas, frutas e legumes – fazem bem ao seu organismo.

As refeições para quem tem alergia ao glúten ou doença celíaca devem ser ricas em frutas, verduras, proteínas e arroz integral ou batata, milho, feijão, em substituição aos alimentos com amido de trigo, como massas.

Infelizmente, nem todas as pessoas com doença celíaca tem sintomas gastrintestinais perceptíveis, que podem incluir fadiga, gases, inchaço, dor abdominal ou diarreia crônica e constipação. Anemia e alterações comportamentais tais como depressão também não são incomuns. Se não tratada, os danos ao intestino delgado podem ser crônicos, provocando um aumento do risco de doenças e problemas associados, como a infertilidade, linfomas intestinais e dermatite.

A doença pode ser considerada muito preguiçosa. Há um grande número de pessoas que têm intolerância alimentar, mas muitos verdadeiros celíacos têm sintomas discretos ou até não tem sintomas. Na maioria dos pacientes é difícil de diagnosticar.

Embora a causa da doença celíaca seja desconhecida, ela é genética, e pode ser desencadeada por uma infecção viral, estresse emocional grave, gravidez ou parto. Então, se alguém da sua família for diagnosticado com ela, é melhor fazer o teste, porém eu não recomendo o inicio de uma dieta isenta de glúten, sem um diagnóstico.

Eu sempre dou uma dica a todos os meus pacientes diagnosticados, permaneça focado no que você pode comer, e não no que não pode. Vale lembrar que existe vida além da dieta!

Dra. Daniela Jobst é nutricionista e Pós Graduada em Nutrição Clínica Funcional e Bioquímica do Metabolismo pela VP/Consultoria Nutricional/Divisão de Ensino e Pesquisa, Especialista em Fisiologia do Exercício pela Escola Paulista de Medicina (UNIFESP), membro do Centro Brasileiro de Nutrição Funcional e do Instituto de Medicina Funcional dos EUA.
Atualmente atende em consultório particular em São Paulo.
Site: www.nutrijobst.com
Blog Widget by LinkWithin

Gostou deste post? Leia também: