Comerciais de fast food contribuem para a obesidade infantil

logos-mashups

Um estudo recente foi publicado no “Journal of Law & Economics” atesta que há uma ligação direta entre a obesidade infantil e comerciais de fast food.

O estudo foi feito com quase 13.000 crianças nos anos de 1979 e 1997 e abrangeu todos os Estados Unidos.  Neste período foi constatado que a quantidade de crianças obesas entre 6 e 11 anos triplicou.

De acordo com a pesquisa a proibição destes comerciais nos horários infantis acarretaria em uma redução de crianças obesas de 18% na faixa de 3 a 11 anos e de 14% para os adolescentes entre 12 e 18.

Os autores da pesquisa não acreditam que proibir os comerciais de fast food seja uma tarefa fácil pois requereria um grande esforço governamental.  Agora imagina se fosse no Brasil, exigir isto de nossos políticos é o mesmo que pedir honestidade em suas gestões ou seja, nunca iria acontecer.

Vale destacar que a Noruega, Suécia e Finlândia são países que proibiram comerciais em programas infantis, além do mais no Canada a CBC que é uma emissora pública também não veicula comerciais na programação infantil.

Por considerar um tópico bem interessante eu gostaria de saber a sua opinião, você acha que no Brasil a programação infantil deveria ser proibido de veicular comerciais de fast food? Deixe a sua opinião.

Fonte: Los Angeles Times

Esta entrada foi publicada em Obesidade Infantil, Pesquisas e marcada com a tag , , , , , , , , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Uma resposta a Comerciais de fast food contribuem para a obesidade infantil

  1. Pingback: Manter um peso saudável diminui as chances de contrair o mal de Alzheimer « Blog da Dieta

  2. Pingback: Obesidade no Brasil - Gráficos « Blog da Dieta

  3. Pingback: Os adolescentes brasileiros se alimentam mal « Blog da Dieta

  4. Acredito que seria melhor deixar de ter os comerciais de fast food em horários de programação infantil. Pois sabemos como um comercail incentiva o consumidor a adquirir o produto, e isso para a empresa é muito bom, mas para o consumidor final pode ser desastroso, o que na minha opinião deve ser feito é que o responsável pela criança, seja criativo em relação aos horários dos comerciais, ou não deixar a criança assistir TV, e sim locar alguns filmes, programas infantis.

  5. Pingback: Globo repórter – Saúde, qualidade de vida e dieta « Blog da Dieta

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>