Propagandas anti-fumo

Para quem acompanha o blog sabe muito bem que eu sou um grande apreciador da nova lei anti-fumo que foi criada em São Paulo.

Hoje eu vi estas duas propagandas contra o cigarro que são super interessantes, pois mostra um outro lado, não o da saúde mas mostra um pouco do lado financeiro de quem gasta o seu dinheiro com cigarros.

Talvez no Brasil estas propagandas estejam um pouco fora da realidade pois os cigarros não são tão caros como aqui no Canadá, que chegam a custar até 8 dólares o maço com 25 cigarros.

Eu sei que em uma situação ideal seria que as pessoas deixassem de fumar por questões de saúde, e acredito que isto deva ocorrer na maioria dos casos, porém há pessoas que nunca vão deixar de fumar por este motivo, mas elas podem ser persuadidas a parar de fumar por outros motivos e que no final das contas vai melhorar a sua saúde e a dos outros que estão a sua volta, pois afinal de contas os fumantes passivos sofrem as mesmas consequências do que os fumantes.

Na propaganda a pergunta é: Você sabe o quanto de dinheiro você gasta com cigarros? Eu acredito que a maioria não sabe.

Por isso, faça um teste com o seu amigo(a) fumante e pergunte a ele(a) o quanto eles gastam com o cigarro, talvez isso possa ser algum incentivo a mais para eles pararem de fumar.

Blog Widget by LinkWithin

Gostou deste post? Leia também:

2 Responses to “Propagandas anti-fumo”


  • Olá. Passei à acompanhar o teu site esta semana, pois achei muitas dicas legais. Coloquei no meu blog o selo do desafio, espero emagrecer logo! Muito interessante as propagandas. Cigarro realmente é horrível. Tanto pra quem fuma, como pra mim, que tenho que conviver com os fumantes… abraço.

  • A legislação antifumo é inconstitucional

    A opinião é do Advogado-Geral da União, ministro José Antonio Dias Toffoli. Ele encaminhou parecer ao Supremo Tribunal Federal apontando “conflito de competências”, também chamado “violação da hierarquia normativa”. Isto é, o Estados e Municípios não podem legislar sobre assunto de alçada federal.
    Mesma interpretação já fora antecipada pelo advogado Luiz Tarcísio Teixeira Ferreira, em artigo para a Folha de São Paulo. Mesmo o arqui-conservador Ives Gandra Martins repetiu o argumento, adicionando que a canetada autoritária de José Serra dissimula uma tentativa irregular de proibir o cigarro.
    Há objeções importantes também quanto à proibição de fumar em condomínios residenciais (e não apenas nas áreas abertas). O advogado Samuel Henrique Cardoso apontou que se trata de um atentado ao princípio constitucional de inviolabilidade do lar – argumento que, segundo ele, não se poderia utilizar para as propriedades comerciais.
    Mas, estranhamente, as análises têm ignorado um aspecto doutrinário muito mais abrangente e profundo da inconstitucionalidade da lei. O veto aos fumódromos fere um direito fundamental do cidadão: a liberdade de trânsito, ou seja, entrar e permanecer em lugares onde possa fumar sem prejudicar não-fumantes.
    O STF decidirá sobre a matéria nos próximos meses (se você achou que a questão estava encerrada, foi enganado pela imprensa). Será um ótimo termômetro da capacidade do Tribunal decidir sem contaminações ideológicas ou os rancores políticos de seu controverso presidente.

Leave a Reply