Farelo de arroz, trigo e aveia

quarta-feira, agosto 19th, 2009

Aprenda um pouco sobre a diferença entre os farelos de arroz, trigo e aveia com a nutricionista Andreia Torres.

Acompanhe o Blog

Me siga no Twitter Receba as últimas notícias no seu email Assine o nosso RSS Visite o meu perfil no Orkut

Dieta das Cores

segunda-feira, agosto 17th, 2009

Bom, na verdade não é uma “dieta” completa pois não envolve as proteínas mas o conceito é super interessante.

Amanhã eu vou colocar a lista completa dos alimentos de cada grupo.

Acompanhe o Blog

Me siga no Twitter Receba as últimas notícias no seu email Assine o nosso RSS Visite o meu perfil no Orkut

Dietas sem glúten ajudam muitas pessoas com ou sem doença celíaca

quarta-feira, agosto 12th, 2009

Imagem Jana Kollárovápao-gluten

Por 20 anos, Angie, da Califórnia, EUA, sofreu de dores crônicas de barriga. Há uma década, ela foi diagnosticada com síndrome de intestino irritável e o profissional que a atendia recomendou mais exercícios físicos e maior ingestão de fibras. Mas a dor, inchaço e problemas digestivos continuaram até seus 60 anos.

Felizmente, quatro anos atrás, outro profissional sugeriu que ela iniciasse uma dieta isenta de glúten. Isso acarreta em mudanças de hábitos alimentares, o que significa deixar de ingerir tudo o que continha a proteína encontrada no trigo (trigo, semolina e kamut), cevada, centeio e aveia.

“Noventa por cento dos meus problemas se foram”, diz Angie. “Quando saio da dieta, os problemas e as dores retornam”, completa.

Angie é uma das muitas pessoas que tem se beneficiado da vida sem glúten. Os que sofrem de intolerância ao glúten, ou diagnosticados com doença celíaca, devem mudar o estilo alimentar e se tornar adeptos da dieta sem glúten, que quando sob supervisão médica, proporciona alívio sem remédios.

Eu tenho consciência da dificuldade dessa adaptação, exige vigilância aos rótulos dos produtos e dedicação para comer em casa, além disso, as pessoas ainda sofrem para encontrar produtos sem glúten nos supermercados.

As pessoas estão acostumadas a pizzas, massas, cerveja e hambúrgueres. Olhando pelo lado positivo, com a dieta restritiva de glúten, os alimentos que você pode comer – proteínas, frutas e legumes – fazem bem ao seu organismo.

As refeições para quem tem alergia ao glúten ou doença celíaca devem ser ricas em frutas, verduras, proteínas e arroz integral ou batata, milho, feijão, em substituição aos alimentos com amido de trigo, como massas.

Infelizmente, nem todas as pessoas com doença celíaca tem sintomas gastrintestinais perceptíveis, que podem incluir fadiga, gases, inchaço, dor abdominal ou diarreia crônica e constipação. Anemia e alterações comportamentais tais como depressão também não são incomuns. Se não tratada, os danos ao intestino delgado podem ser crônicos, provocando um aumento do risco de doenças e problemas associados, como a infertilidade, linfomas intestinais e dermatite.

A doença pode ser considerada muito preguiçosa. Há um grande número de pessoas que têm intolerância alimentar, mas muitos verdadeiros celíacos têm sintomas discretos ou até não tem sintomas. Na maioria dos pacientes é difícil de diagnosticar.

Embora a causa da doença celíaca seja desconhecida, ela é genética, e pode ser desencadeada por uma infecção viral, estresse emocional grave, gravidez ou parto. Então, se alguém da sua família for diagnosticado com ela, é melhor fazer o teste, porém eu não recomendo o inicio de uma dieta isenta de glúten, sem um diagnóstico.

Eu sempre dou uma dica a todos os meus pacientes diagnosticados, permaneça focado no que você pode comer, e não no que não pode. Vale lembrar que existe vida além da dieta!

Dra. Daniela Jobst é nutricionista e Pós Graduada em Nutrição Clínica Funcional e Bioquímica do Metabolismo pela VP/Consultoria Nutricional/Divisão de Ensino e Pesquisa, Especialista em Fisiologia do Exercício pela Escola Paulista de Medicina (UNIFESP), membro do Centro Brasileiro de Nutrição Funcional e do Instituto de Medicina Funcional dos EUA.
Atualmente atende em consultório particular em São Paulo.
Site: www.nutrijobst.com

Acompanhe o Blog

Me siga no Twitter Receba as últimas notícias no seu email Assine o nosso RSS Visite o meu perfil no Orkut

Conheça algumas das principais razões para a falta de energia

quarta-feira, agosto 5th, 2009

falta-energia

Um dos problemas mais comuns é a falta de energia no dia-a-dia e, durante a minha experiência clinica, eu posso apontar três principais razões para isso.  Abaixo segue 3 dicas de como melhorar a disposição e passar o dia com mais ânimo.

1º problema: Escolher os lanches errados

Os doces nos dão uma “alta de energia” falsa, seguida de uma queda brusca. Nosso corpo manda uma grande quantidade de açúcar para os músculos, deixando com baixa glicose no sangue, o que sinaliza ao cérebro a necessidade de mais ingestão de açúcar.

Sugestão: nos intervalos das refeições coma duas colheres de sobremesa de oleaginosas com cereais integrais

2º problema: não dormir

Um problema comum é ficar se revirando na cama, especialmente quando há algum tipo de luminosidade no ambiente.

Sugestão: compre uma máscara de dormir. A claridade atrapalha a produção de melatonina. Ache uma máscara que se acomode bem em seu rosto e aproveite os resultados.

3º problema: respiração incorreta

É difícil respirar corretamente em frente ao computador, ou quando se está tenso.

Sugestão: Pare algumas vezes no dia e se concentre em sua respiração abdominal e não pulmonar. Faça 10 vezes o ciclo de inspiração e expiração desta maneira. A inspiração correta ajuda a limpar os pensamentos devido a eliminação de gás carbônico.

Dra. Daniela Jobst é nutricionista e Pós Graduada em Nutrição Clínica Funcional e Bioquímica do Metabolismo pela VP/Consultoria Nutricional/Divisão de Ensino e Pesquisa, Especialista em Fisiologia do Exercício pela Escola Paulista de Medicina (UNIFESP), membro do Centro Brasileiro de Nutrição Funcional e do Instituto de Medicina Funcional dos EUA.
Atualmente atende em consultório particular em São Paulo.
Site: www.nutrijobst.com

Acompanhe o Blog

Me siga no Twitter Receba as últimas notícias no seu email Assine o nosso RSS Visite o meu perfil no Orkut

Saudável e barato – No final das contas os alimentos saudáveis são a melhor opção

quinta-feira, julho 23rd, 2009

Imagem abcdz2000

banca-verduras-legumes

Quando o orçamento familiar “aperta”, a primeira alternativa quase sempre são os pratos instantâneos. Mas, se realizarmos a matemática nutricional, existe melhor “barganha” no supermercado, quitanda ou frutaria.

Ricos em nutrientes, as frutas, vegetais, legumes e grãos baratos, são melhor opção se comparados aos pratos prontos que encontramos disponíveis nas prateleiras. Muitas pessoas acreditam que, para comer alimentos saudáveis, é preciso gastar muito dinheiro, é aí que mora o perigo.

O preço mais alto é pago pelas pessoas a longo prazo, quando a alimentação incorreta, começa a dar sinais no corpo, tanto com relação ao peso, quanto a doenças causadas pela má alimentação. Muitos pratos caros são repletos de sal, açúcar e gordura trans, além de terem pouco ou até nenhum valor nutricional.

“Sugiro a ingestão de nove porções diárias de frutas e vegetais. Se você seguir esta orientação, sobrará pouco espaço para junk food.

Três regras para compras baratas e saudáveis são:

Compre alimentos da estação e em promoção: planeje o menu do dia com base nesses alimentos;
Recheie: incremente sua alimentação com frutas e vegetais, que satisfazem devido às fibras e impedem os famosos “lanchinhos” fora de hora;
Orgânico ou convencional? A opção orgânica é a mais saudável, mas em tempos de “dinheiro curto”, compre os alimentos convencionais que tem menor risco de pesticidas: cebola, aspargo, brócolis, avocado, abacaxi, manga, kiwi e banana.

Faça render as economias: passe reto pelos pratos prontos, adicione estes alimentos para a sua lista de compras, e encha seu carrinho:

• Raízes: as raízes são ricas em antioxidantes. Frescas, cruas e raladas em salada são saudáveis, mas você também pode assá-las. Ex: beterraba, cenoura, aipim.
• Repolho: barato, este crucífero vegetariano é repleto de nutrientes, mas alguns são liberados apenas pelo processo de cozimento. Experimente cozido no vapor ou em saladas.
• Conservas de sardinha e atum: sardinhas são ricas em ômega-3 e cálcio, e tem baixo teor em mercúrio. O atum é barato, rápido e uma saudável fonte de proteína. Misturar em saladas ou em lanches com pão integral.
• Abóbora: rica em beta-caroteno satisfaz sem muitas calorias. Experimente com canela e noz-moscada.
• Aveia: redutora de colesterol, a aveia é uma pechincha nutricional, especialmente quando comprada a granel. Tente comer aveia no café da manhã com frutas e nozes.
• Ovos: uma das mais baratas fontes de proteína. Podem ser mexidos com legumes e ervas picadas para uma rápida e nutritiva refeição.
• Frutos e sementes: saudável em gorduras e proteínas, as nozes, amêndoas, sementes de abóbora e gergelim devem fazer parte da dieta de todos. Compre sem sal e coma pequenas porções puras, com lanches ou em saladas.
• Feijão: traz proteína e fibra para a sua dieta. Pode ser ingerido com o famoso arroz, integral se possível, ou como húmus para um lanche rico em proteínas.
• Grãos integrais: arroz integral, massas de grãos integrais, como quinoa e outros, são ótimas opções para as refeições, especialmente quando misturados com nutritivos legumes, feijões e leguminosas.

dra-daniela-jobst-nutricionista-funcional

Dra. Daniela Jobst é nutricionista e Pós Graduada em Nutrição Clínica Funcional e Bioquímica do Metabolismo pela VP/Consultoria Nutricional/Divisão de Ensino e Pesquisa, Especialista em Fisiologia do Exercício pela Escola Paulista de Medicina (UNIFESP), membro do Centro Brasileiro de Nutrição Funcional e do Instituto de Medicina Funcional dos EUA.
Atualmente atende em consultório particular em São Paulo.
Site: www.nutrijobst.com
Blog Widget by LinkWithin

Acompanhe o Blog

Me siga no Twitter Receba as últimas notícias no seu email Assine o nosso RSS Visite o meu perfil no Orkut
SEO Powered by Platinum SEO from Techblissonline