Tag Archive for ‘envelhecimento’

Quer viver mais e melhor? Ingira menos calorias

Imagem Paulo Correa
valor-nutricional-tabela-calorias

Quem está em dieta sabe o quão importante é controlar a ingestão de calorias. Agora, pesquisadores descobriram que diminuindo o consumo de calorias não é bom somente para a sua cintura, mas também pode retardar o envelhecimento.

Um novo estudo da revista Science, pesquisadores investigaram mais de 70 macacos por 20 anos. Metade dos macacos seguiram uma dieta restrita em calorias porém muito nutritiva, em valores, eles consumiram 30% menos calorias do que normalmente comeriam. Enquanto, a outra metade comia o quanto quisesse.

No final, 53% dos macacos que seguiam a dieta ainda estavam vivos até ao final do estudo, em comparação com apenas 34% do outro grupo. Outro ponto importante, os macacos que comeram menos calorias permaneceram mais saudáveis por longos períodos de tempo. De fato, eles tinham 3 vezes menos probabilidade de desenvolver doenças relacionadas com a idade como o câncer, doenças cardiovasculares e diabetes. Eles também apresentaram melhorias em relação a saúde do cérebro. “Todas estas mudanças ajudam a retardar o processo de envelhecimento”, diz o Dr. Richard Weindruch, autor e professor de medicina da Universidade de Wisconsin em Madison. Inclusive um outro estudo realizado por ele descobriu que a restrição calórica poderia ajudar a diminuir a perda de músculos com o envelhecimento.

Como macacos e seres humanos estão intimamente ligados, os resultados podem se aplicar a você, também. No entanto, o Dr. Weindruch é hesitante em recomendar uma redução de 30% de calorias para os seres humanos, dizendo que pode ser demasiado para a maioria das pessoas. “E se você reduzir muito o seu consumo alimentar, você poderá entrar em desnutrição”, diz ele. Se você quiser seguir este método, você deverá procurar um perito qualificado como um nutricionista que pode te acompanhar e de ter a certeza de que enquanto você está cortando calorias, você está recebendo todos os nutrientes que você precisa.

Frases e Poemas na Web - Um pouco de cultura todo dia.

Como envelhecer com o corpo e a mente sã

humano-homem-leonardo-da-vinci

Sabemos que iremos envelhecer, mas o importante é que atualmente a nutrição, a medicina, a estética e os profissionais da atividade física sabem diagnosticar o envelhecimento como um todo. O que acontece em nosso organismo é complexo, mas totalmente possível de ser adiado ao máximo, para uma 3ª idade mais saudável e livre de doenças. O objetivo é que, em qualquer idade, se busque o melhor de nosso organismo, da atividade cerebral e orgânica do ser humano. Abaixo algumas informações, sobre o que acontece com nosso corpo e as medidas possíveis de serem adotadas para prevenção do envelhecimento.

CRONOGRAMA ANTIENVELHECIMENTO

25 aos 35 anos
O QUE ACONTECE?

Os hormônios ativadores das funções orgânicas (Hormônio de Crescimento da hipófise, DHEA da supra renal e Tiroxina da tireóide) estão em seus níveis máximos;
O risco cardiológico nesta fase se dá pelo sedentarismo que leva a um aumento do percentual de gordura e atrofia muscular;
É comum a ocorrência de oleosidade na pele e acne além dos riscos de exposição ao Sol;

O QUE FAZER?
Manter uma alimentação saudável com alimentos orgânicos, vegetais e frutas e evitar gorduras saturadas, hidrogenadas (trans) e alimentos industrializados;
Manter uma atividade física regular;
Uso de filtros solares e limpeza, tonificação, hidratação de pele regularmente com produtos de nutrição para pele.

35 aos 45 anos
O QUE ACONTECE?

Os níveis de DHEA começam a cair (até 20% nos homens e até 40% nas mulheres);
Nos últimos 20 anos triplicou o número de mulheres que engravidam nesta faixa etária onde o risco de pressão alta na gravidez é duas vezes maior;
Inicia-se a perda da densidade óssea e aumento das taxas de colesterol e triglicerídeos naqueles que não tem cuidados alimentares e são sedentários;
Alteração nas fibras de colágeno e elastina iniciam a formação de rugas superficiais.

O QUE FAZER?
O controle da qualidade da alimentação tem que ser aumentado;
Atividade física torna-se quase obrigatória, incluindo musculação, principalmente para os sedentários;
Iniciar tratamento cosmético anti-envelhecimento aliado a alimentação e suplementação AntiAging.

45 aos 55 anos
O QUE ACONTECE?

Os níveis dos hormônios estimuladores das funções orgânicas caem mais (o hormônio de crescimento cai 50%, o DHEA cai em até 40% no homem a testosterona cai em até 25%, nas mulheres inicia o climatério com a menopausa);
O hormônio cortisol que causa declínio imunológico, neurológico e aumento do depósito de gordura corporal aumenta em até 30%;
A perda de massa óssea pode chegar a 0,3% ao ano, neurologicamente a memória e o raciocínio declinam, os olhos perdem capacidade de focalizar objetos próximos e há diminuição da capacidade de ouvir tonalidades mais agudas;
Os sucos digestivos e a velocidade de trânsito intestinal começam a diminuir.

O QUE FAZER?
O controle médico AntiAging é muito importante para combater esses declínios hormonais, e nos manter jovens;
A estimulação glandular ou reposição hormonal bioidêntica é indicada;
A atividade física é obrigatória preferencialmente sob supervisão profissional;
A alimentação deve ser extremamente saudável e controlada para evitar inflamações (p.ex. por alergias alimentares);
A suplementação Alimentar e tratamento cosmético Antienvelhecimento;
Evitar e saber exercer domínio próprio sob o stress estresse e realizar atividades afetivamente.

55 aos 70 anos
O QUE ACONTECE?

Os níveis hormonais e as funções orgânicas caem mais (hormônio de crescimento cai em até 65% em relação ao jovem, os níveis de DHEA caem em 50%, o hormônio da tireóide cai e diminui a velocidade do metabolismo);
no homem a testosterona chega a cair 55% o volume seminal diminui,
nas mulheres após a menopausa (climatérico) aumenta a massa gorda em até 35%;
Continua a perda da massa óssea com risco de osteoporose;
Continua a diminuição dos sucos e funções digestivas e intestinais;
Aumento do risco de aterosclerose, acidentes vasculares cerebrais e infarto;
Estresse oxidativo que leva a degeneração dos tecidos.

O QUE FAZER?
Controle médico clínico e cardiológico;
Alimentação focada na melhora de todos os sintomas (climatério, aumento de gordura corporal) aliada a uma adequada suplementação;
As reposições hormonais podem estar indicadas (consulte seu médico);
Cuidados com a saúde e a flora bacteriana do sistema digestivo e com a qualidade da alimentação;
Atividade física sob orientação para melhora da força muscular e da mobilidade articular;
Tratamento antienvelhecimento para evitar a oxidação tecidual e a perda das funções orgânicas;
Indispensável: Uso de filtros solares e limpeza, tonificação, hidratação de pele regularmente.

Após os 70 anos
O QUE ACONTECE?

Os hormônios podem chegar a 20% dos níveis de quando jovem;
O tecido neurológico começa a perder as suas funções com quadros de dificuldade de memória e chegando até a Doenças como Parkinson ou Alzheimer;
Diminuição importante das funções digestivas e conseqüente diminuição da absorção de nutrientes e nutrição dos órgãos;
Diminuição da capacidade respiratória;
Diminuição da capacidade de articulação com grande perda de massa magra (músculos);
Aumentam riscos de problemas cardíacos e AVC por aterosclerose e perda da elasticidade dos vasos causados por oxidação dos tecidos pelos radicais livres.

O QUE FAZER?
Rígido controle médico;
Tratamento (médico e/ou nutricionista) para melhora das funções digestivas e conseqüente melhora nutricional;
Suplementação Alimentar para compensar as deficiências bioquímicas, combater radicais livres e metais tóxicos;
Atividade física sob orientação para melhora da capacidade respiratória e articular além da muscular;
Tratamento antienvelhecimento para evitar a oxidação tecidual e a perda das funções orgânicas;
Indispensável: Uso de filtros solares e limpeza, tonificação, hidratação de pele regularmente.

dra-daniela-jobst-nutricionista-funcional

Dra. Daniela Jobst é nutricionista e Pós Graduada em Nutrição Clínica Funcional e Bioquímica do Metabolismo pela VP/Consultoria Nutricional/Divisão de Ensino e Pesquisa, Especialista em Fisiologia do Exercício pela Escola Paulista de Medicina (UNIFESP), membro do Centro Brasileiro de Nutrição Funcional e do Instituto de Medicina Funcional dos EUA.
Atualmente atende em consultório particular em São Paulo.
Site: www.nutrijobst.com
Blog Widget by LinkWithin