Tag Archive for ‘física’

Saiba quantas calorias você pode queimar durante 1 hora em algumas atividades

Se você não tem um daqueles relógios que medem batimentos cardíacos, é muito difícil saber quantas calorias você perde em um determinado exercício, por isso eu estou colocando esta tabela, assim você pode matar a sua curiosidade.

Vale destacar que as quantidades de calorias gastas podem mudar de acordo com a intensidade com que você faz o exercício.

Tabela de atividades
Atividade – 1 Hr. Peso e calorias queimadas
73 kg. 91 kg. 109 kg.
Aeróbica, de alto impacto 511 637 763
Aeróbica, de baixo impacto 365 455 545
Aeróbica, água 292 364 436
Jogo de basquete 584 728 872
Bicicleta, < 16 km/h 292 364 436
Boliche 219 273 327
Canoagem 256 319 382
Dança de salão 219 273 327
Golfe, carregando os tacos 329 410 491
Caminhadas 438 546 654
Correr, 8 km/h 584 728 872
Racquetball 511 637 763
Roller (patins in-line) 913 1,138 1,363
Pular corda 730 910 1,090
Remo, estacionário 511 637 763
Correr, 12 km/h 986 1,229 1,472
Escada (aparelho) 657 819 981
Natação 511 637 763
Tae kwon do 730 910 1,090
Tai chi 292 364 436
Tennis, simples 584 728 872
Volleyball 292 364 436
Caminhada, 2 km/h 183 228 273
Caminhada, 5,5 km/h 277 346 414
Musculação 219 273 327

Fonte: Mayo Clinic

Frases e Poemas na Web - Um pouco de cultura todo dia.

Entrevista – Dr. Turíbio Leite Barros Neto

drauzio-turibioO Dr. Turíbio é membro do American College Of Sports Medicine e Professor Adjunto IV da Universidade Federal de São Paulo. Possui vasta experiência na área de Fisiologia, com ênfase em Fisiologia do Exercício, atuando principalmente nos seguintes temas: atividade física, futebol, exercício, consumo de oxigênio e aptidão física.

Ele participou de uma interessante entrevista com o Dr. Drauzio Varella, sobre exercícios aeróbios e anaeróbios, confira:

DrauzioQual a diferença entre exercícios aeróbios e anaeróbios?
Turíbio Barros – O exercício aeróbio é fundamentalmente ligado ao movimento. A energia necessária para executá-lo é proporcionada pelo uso do oxigênio, ou seja, o oxigênio funciona como fonte de queima dos substratos que produzirão a energia a ser transportada para o músculo em atividade. Caracteriza-se como atividade aeróbia o exercício contínuo, dinâmico e, na maioria das vezes, prolongado que estimula a função dos sistemas cardiorrespiratório e vascular e o metabolismo, porque aumenta a capacidade cardíaca e pulmonar para suprir de energia o músculo a partir do consumo do oxigênio (daí o nome aeróbio). Caminhar, andar, pedalar, nadar, dançar ou fazer qualquer atividade que obrigue a pessoa a sustentar seu peso corporal enquanto se movimenta são exercícios aeróbicos.
O exercício anaeróbio é, por definição, um exercício de força. Para ser realizado, exige que os músculos sejam contraídos contra uma resistência. Na maior parte das vezes, não está associado ao movimento e utiliza uma forma de energia que independe do uso do oxigênio, daí o termo anaeróbio. Basicamente, é um exercício de alta intensidade e curta duração que contempla fundamentalmente os músculos.

Drauzio Dê alguns exemplos de exercícios anaeróbios.
Turíbio Barros – Na área dos esportes, são anaeróbios os exercícios de velocidade de curta duração e alta intensidade, como a corrida de cem metros rasos, os saltos, o arremesso de peso. Se nos reportarmos a área ocupacional, toda atividade que demanda força física em vez de movimento é considerada um exercício anaeróbio.
Na verdade, os movimentos mais comuns do dia-a-dia são um misto de atividades físicas aeróbicas e anaeróbicas.

Drauzio Houve o tempo em que só se falava nos benefícios do exercício aeróbio. Hoje se sabe que ambos, o aeróbio e o anaeróbio, contribuem para melhorar a forma física.
Turíbio Barros – Durante bastante tempo, se preconizou que a única forma de atividade física recomendada era a aeróbia. As pessoas deviam caminhar, correr, pedalar, nadar. Há mais de dez anos, porém, a medicina resgatou a importância do exercício anaeróbio que, na prática das academias, são feitos com peso.
Na verdade, um programa completo de exercícios, necessariamente, envolve os dois tipos de atividade física. A pessoa deve caminhar, pedalar, nadar e fazer exercícios contra resistência para fortalecer músculos, desacelerar a perda de massa muscular e evitar a perda de massa óssea. Mesmo os idosos, para quem se via com preocupação a prática de exercícios de força, devem ser estimulados a fazer exercícios com pesos além dos exercícios aeróbios para alcançarem melhor resultado em termos de saúde e qualidade de vida.

Drauzio O corpo humano é máquina engendrada para o movimento, haja vista o número de articulações, verdadeiras dobradiças, que têm e a disposição dos músculos. Ao contrário das outras máquinas que se desgastam à medida que se movimentam, quanto mais solicitado for, melhor o corpo humano conseguirá exercer suas funções de forma harmoniosa. Por quê?
Turíbio Barros – Durante todo o processo de evolução, o corpo humano teve como necessidade fundamental a interação ativa com o meio ambiente e praticamente todos os sistemas orgânicos mobilizados na produção de energia são beneficiados pelo uso, pela solicitação e pela necessidade de estar em atividade.
É muito fácil demonstrar os benefícios que o uso das funções fisiológicas associadas à atividade física proporciona. Basta lembrar que, quando engessamos uma perna ou um braço, o membro entra em desuso e, como consequência, o músculo hipotrofia, regride. Retirado o gesso, o braço ou a perna estarão fininhos porque perderam de 30% a 40% de massa muscular.
Guardadas as devidas proporções, isso ocorre em todo o organismo. A falta da atividade física faz com que o coração regrida funcionalmente e a condição respiratória fique comprometida.

Fonte: Site Oficial Dr. Drauzio Varella

Como envelhecer com o corpo e a mente sã

humano-homem-leonardo-da-vinci

Sabemos que iremos envelhecer, mas o importante é que atualmente a nutrição, a medicina, a estética e os profissionais da atividade física sabem diagnosticar o envelhecimento como um todo. O que acontece em nosso organismo é complexo, mas totalmente possível de ser adiado ao máximo, para uma 3ª idade mais saudável e livre de doenças. O objetivo é que, em qualquer idade, se busque o melhor de nosso organismo, da atividade cerebral e orgânica do ser humano. Abaixo algumas informações, sobre o que acontece com nosso corpo e as medidas possíveis de serem adotadas para prevenção do envelhecimento.

CRONOGRAMA ANTIENVELHECIMENTO

25 aos 35 anos
O QUE ACONTECE?

Os hormônios ativadores das funções orgânicas (Hormônio de Crescimento da hipófise, DHEA da supra renal e Tiroxina da tireóide) estão em seus níveis máximos;
O risco cardiológico nesta fase se dá pelo sedentarismo que leva a um aumento do percentual de gordura e atrofia muscular;
É comum a ocorrência de oleosidade na pele e acne além dos riscos de exposição ao Sol;

O QUE FAZER?
Manter uma alimentação saudável com alimentos orgânicos, vegetais e frutas e evitar gorduras saturadas, hidrogenadas (trans) e alimentos industrializados;
Manter uma atividade física regular;
Uso de filtros solares e limpeza, tonificação, hidratação de pele regularmente com produtos de nutrição para pele.

35 aos 45 anos
O QUE ACONTECE?

Os níveis de DHEA começam a cair (até 20% nos homens e até 40% nas mulheres);
Nos últimos 20 anos triplicou o número de mulheres que engravidam nesta faixa etária onde o risco de pressão alta na gravidez é duas vezes maior;
Inicia-se a perda da densidade óssea e aumento das taxas de colesterol e triglicerídeos naqueles que não tem cuidados alimentares e são sedentários;
Alteração nas fibras de colágeno e elastina iniciam a formação de rugas superficiais.

O QUE FAZER?
O controle da qualidade da alimentação tem que ser aumentado;
Atividade física torna-se quase obrigatória, incluindo musculação, principalmente para os sedentários;
Iniciar tratamento cosmético anti-envelhecimento aliado a alimentação e suplementação AntiAging.

45 aos 55 anos
O QUE ACONTECE?

Os níveis dos hormônios estimuladores das funções orgânicas caem mais (o hormônio de crescimento cai 50%, o DHEA cai em até 40% no homem a testosterona cai em até 25%, nas mulheres inicia o climatério com a menopausa);
O hormônio cortisol que causa declínio imunológico, neurológico e aumento do depósito de gordura corporal aumenta em até 30%;
A perda de massa óssea pode chegar a 0,3% ao ano, neurologicamente a memória e o raciocínio declinam, os olhos perdem capacidade de focalizar objetos próximos e há diminuição da capacidade de ouvir tonalidades mais agudas;
Os sucos digestivos e a velocidade de trânsito intestinal começam a diminuir.

O QUE FAZER?
O controle médico AntiAging é muito importante para combater esses declínios hormonais, e nos manter jovens;
A estimulação glandular ou reposição hormonal bioidêntica é indicada;
A atividade física é obrigatória preferencialmente sob supervisão profissional;
A alimentação deve ser extremamente saudável e controlada para evitar inflamações (p.ex. por alergias alimentares);
A suplementação Alimentar e tratamento cosmético Antienvelhecimento;
Evitar e saber exercer domínio próprio sob o stress estresse e realizar atividades afetivamente.

55 aos 70 anos
O QUE ACONTECE?

Os níveis hormonais e as funções orgânicas caem mais (hormônio de crescimento cai em até 65% em relação ao jovem, os níveis de DHEA caem em 50%, o hormônio da tireóide cai e diminui a velocidade do metabolismo);
no homem a testosterona chega a cair 55% o volume seminal diminui,
nas mulheres após a menopausa (climatérico) aumenta a massa gorda em até 35%;
Continua a perda da massa óssea com risco de osteoporose;
Continua a diminuição dos sucos e funções digestivas e intestinais;
Aumento do risco de aterosclerose, acidentes vasculares cerebrais e infarto;
Estresse oxidativo que leva a degeneração dos tecidos.

O QUE FAZER?
Controle médico clínico e cardiológico;
Alimentação focada na melhora de todos os sintomas (climatério, aumento de gordura corporal) aliada a uma adequada suplementação;
As reposições hormonais podem estar indicadas (consulte seu médico);
Cuidados com a saúde e a flora bacteriana do sistema digestivo e com a qualidade da alimentação;
Atividade física sob orientação para melhora da força muscular e da mobilidade articular;
Tratamento antienvelhecimento para evitar a oxidação tecidual e a perda das funções orgânicas;
Indispensável: Uso de filtros solares e limpeza, tonificação, hidratação de pele regularmente.

Após os 70 anos
O QUE ACONTECE?

Os hormônios podem chegar a 20% dos níveis de quando jovem;
O tecido neurológico começa a perder as suas funções com quadros de dificuldade de memória e chegando até a Doenças como Parkinson ou Alzheimer;
Diminuição importante das funções digestivas e conseqüente diminuição da absorção de nutrientes e nutrição dos órgãos;
Diminuição da capacidade respiratória;
Diminuição da capacidade de articulação com grande perda de massa magra (músculos);
Aumentam riscos de problemas cardíacos e AVC por aterosclerose e perda da elasticidade dos vasos causados por oxidação dos tecidos pelos radicais livres.

O QUE FAZER?
Rígido controle médico;
Tratamento (médico e/ou nutricionista) para melhora das funções digestivas e conseqüente melhora nutricional;
Suplementação Alimentar para compensar as deficiências bioquímicas, combater radicais livres e metais tóxicos;
Atividade física sob orientação para melhora da capacidade respiratória e articular além da muscular;
Tratamento antienvelhecimento para evitar a oxidação tecidual e a perda das funções orgânicas;
Indispensável: Uso de filtros solares e limpeza, tonificação, hidratação de pele regularmente.

dra-daniela-jobst-nutricionista-funcional

Dra. Daniela Jobst é nutricionista e Pós Graduada em Nutrição Clínica Funcional e Bioquímica do Metabolismo pela VP/Consultoria Nutricional/Divisão de Ensino e Pesquisa, Especialista em Fisiologia do Exercício pela Escola Paulista de Medicina (UNIFESP), membro do Centro Brasileiro de Nutrição Funcional e do Instituto de Medicina Funcional dos EUA.
Atualmente atende em consultório particular em São Paulo.
Site: www.nutrijobst.com

Alimentos para quem corre

Imagem SXC

correndo-praia

Os alimentos que não podem faltar antes e depois do treino são em primeiro lugar os carboidratos, pois são combustíveis para toda e qualquer atividade física e as proteínas, para recuperação muscular. Porém o conjunto de toda a alimentação adequada, equilibrada, antioxidante, integral, traz benefícios muito importantes. O consumo de carboidratos na alimentação de quem caminha fornece energia para a queima de gordura assim como a prevenção da queima da massa muscular.

Para potencializar o treino, o atleta deve ingerir carboidratos, pois são os combustíveis necessários para o acionamento do maquinário metabólico. Com o fornecimento de apenas proteínas, desviamos nosso metabolismo para outras queimas, principalmente da massa magra e não gorda, aumento risco de lesão e overtraining.

Algumas vezes sentimos dor na barriga durante a caminhada, por isso é necessário salientar que, para qualquer início ou acompanhamento de atividade física, vale a pena consultar um médico assim como um nutricionista para adequar e equilibrar a alimentação e avaliar o estado de saúde, para que não haja risco da atividade ser prejudicial ao invés de benéfica.

Dentre os benefícios para o atleta que caminha ou corre, está a melhora principalmente do intestino, que devido ao incremento dos movimentos peristálticos, facilita o transito intestinal. Intestino que funciona bem possui mais chances de absorver nutrientes e excretar toxinas corretamente.

Nossa saúde depende da saúde intestinal, pois é lá que são absorvidos muitos nutrientes assim como produzidos muitas substâncias essências no nosso organismo como a serotonina – neurotransmissor do bem estar, responsável pelo bom humor, sono etc.

dra-daniela-jobst-nutricionista-funcional

Dra. Daniela Jobst é nutricionista e Pós Graduada em Nutrição Clínica Funcional e Bioquímica do Metabolismo pela VP/Consultoria Nutricional/Divisão de Ensino e Pesquisa, Especialista em Fisiologia do Exercício pela Escola Paulista de Medicina (UNIFESP), membro do Centro Brasileiro de Nutrição Funcional e do Instituto de Medicina Funcional dos EUA.
Atualmente atende em consultório particular em São Paulo.
Site: www.nutrijobst.com

Só exercícios ajudam a perder peso?

chubby-exerciseUm pequeno estudo feito pela Loyola University apontou que só exercícios não é a melhor resposta para perder peso.

O estudo foi publicado no Journal Obesity e incluiu 149 mulheres de uma área rural na Nigéria e 172 mulheres da região metropolitana de Chicago.

De acordo com o Dra. Amy Luke, pesquisadora responsável pelo estudo, a média de peso das americanas foi de 83 kg e das nigerianas era de 57 kg.

Segundo a Dra. Luke os dois grupos não apresentavam uma diferença significante de atividade física, enquanto as americanas queimavam 760 calorias por dia, as nigerianas gastavam 800 calorias.

Através desta pesquisa os pesquisadores constataram que o crescimento da obesidade nada tem a ver com o declínio da atividade física e que o principal fator que fazem as pessoas ganharem peso são os seus hábitos alimentares.

A Dra. Amy destaca que a alimentação das nigerianas é rica em fibras, carboidratos e contém pouca gordura e proteína animal, enquanto a dieta das americanas é rica em gorduras e alimentos processados.

Isto não significa que para perder peso você não precisa fazer exercícios, mas significa que você precisa prestar mais atenção na sua dieta.

Fonte: dietblog

Blog Widget by LinkWithin